domingo, 19 de fevereiro de 2017

Estágios do sono e qual é melhor para os sonhos

Os sonhos são acontecimentos muito enigmáticos e difíceis de definir conceitos sólidos e cientificamente comprovados. No entanto, o sono, pode ser mais facilmente compreendido de acordo com as bases da neurologia, segundo os estudos feitos até aqui são 5 estágios de sono no total e alguns deles são mais propícios para a ativação do mundo onírico.

Normalmente quando adormecemos passamos por mais de um estágio de sono, começando pela um e avançando ou não em direção as outras. A dificuldade de algumas pessoas em dormir pode estar diretamente relacionada com a ação destas etapas e atividades neurológicas de cada um.

Fase 1


A fase um é o sono leve, quando você lentamente começa a imaginar coisas e confundir os pensamento racionais com os seus sonhos surreais e aos poucos vai adormecendo. Fisiologicamente há o relaxamento dos músculos e é quando acontece os principais espasmos - aquela sensação de queda como uma resposta do organismo para te avisar que você não deve dormir. Acontece principalmente quando estamos tensos ou sabemos que precisamos resolver situações.

Nesse estágio acontece os sonhos lúcidos em que as pessoas pouco distinguem o que estão vivendo do real ou sonhando ou então conseguem compreender que estão sonhando e com isso controlar a situação onírica.



Fase 2


Acredita-se que a maior parte do tempo que dormimos permanece nesta fase. Nesse momento o movimento dos olhos para e as ondas cerebrais tornam-se mais lentas, o corpo fica frio . Aqui é quando os primeiros sonhos da noite começam, mas você provavelmente não conseguirá lembrar deles.

Fase 3


Primemeira fase do sono profundo. As ondas cerebrias são muito lentas e é muito difícil acordar naturalmente. Se você acordar durante este estágio é provável que se sinta mal.

Fase 4


Segunda fase do sono profundo. Importante chegar aqui para que o corpo realmente descanse e possa iniciar o outro dia bem, pois nele as ondas tem uma atividade mínima e conseguem manter o corpo em estado como o de meditação: sem pensamentos.

Fase 5



Aqui é a parte do sono que os sonhos mais acontece, também chamado de sono REM. Nele você não consegue mais distinguir que está sonhando e simplesmente se deixa levar pelas sensações, acredita-se que somente 20% do sono é REM e que ele só ocorra por curtos períodos, como uma técnica do organismo de não permanecer muito tempo vulnerável. 

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Porque sonhamos? Entenda os possíveis significados dos sonhos!

Um dos maiores enigmas da consciência é saber porque sonhamos. Muitos psicólogos e psicanalistas estudaram a neurologia para conseguir chegar a alguma resposta. Até agora o que foi levantado indica que os sonhos são a principal chave para conhecermos a nós mesmos, sim Freud estava certo.

De acordo com as pesquisas do pai da psicanálise a linguagem simbólica dos sonhos se manifesta no inconsciente como uma espécie de recapitulação das sensações e coisas que vivemos no dia a dia como um porão da mente que abriga muita informação sobre nós.
Eis a questão: se conseguirmos passar toda essa carga para a parte racional do cérebro podemos aprender a lidar com nossas sensações, traumas, identificar problemas e sensações que não conseguimos traduzir.  Aí vem as etapas do sonho: linguagem, sensação, simbolismo e semiótica. Tudo o que se passa no mundo onírico se caracteriza pela utilização de metáforas, mas o mesmo símbolo pode ser interpretado diferentemente por pessoas diversas e é aí que começa o processo de autoconhecimento.


O que aquele cachorro, aranha, dente quebrado e outras coisas que vemos em nosso sonho queria realmente dizer? As vezes alguns são tão surreais e estranhos que ficamos pensando por dias no que podia significar e isso é possível, basta fazer uma leitura daquilo que estamos passando, do que já passamos e as vezes é preciso da ajuda de um profissional para guiar esse processo.

No total são mais de 10 teorias que tentam explicar o significado dos sonhos, até criou-se uma categoria para analisar essa função incrível e instigante do cérebro humano: a oneirologia.


 Entre elas estão o resumo do dia, a ação do subconsciente, a realização de desejos, codificação de memórias para que elas consigam ser mais facilmente armazenadas no futuro e até a coleta de lixo das informações que não nos dizem nada, como por exemplo rosto de pessoas que parecem desconhecida, mas que passaram por nós na rua e coisas do tipo.